Sadismo musical

Cantora descoberta enquanto fazia backing vocals e performances góspeis tem a chance de gravar um disco. Várias faixas do mesmo se tornam hits. A artista-se torna milionária, superexposta e popular do dia para a noite. Adeus, anonimato, adeus, privacidade.

 A estrela então percebe que chegar ao topo não é tão difícil como permanecer nele. Marido abusivo, falsos amigos, consolo efêmero nos entorpecentes, tudo isso se confunde em uma trajetória polêmica de perdas e danos. Exausta emocionalmente, um belo dia a estrela leva seu brilho esplêndido para contrastar junto à imensidão escura da morte. Em uma tentativa de resgatar momentos doces de uma juventude repleta de sonhos e a conservação de uma última e frágil intimidade, a família opta por um funeral discreto na cidade natal da grande cantora.

Adeus, querida Whitney Houston, descanse em paz e tenha a certeza de que esse patético sadismo musical das rádios que tocam incessantemente os temas da frustada e frustrante Adele, em vez de seu timbre infinitamente superior, são a última homenagem a um talento repleto de força e superação como o seu!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: